ADUA realiza ato contra a precarização do trabalho na Ufam

Docentes e estudantes apresentaram uma série de problemas estruturais que vêm enfrentando

Nesta sexta-feira (22/03), a Associação dos Docentes da Universidade Federal do Amazonas (ADUA) realiza um ato contra a precarização do trabalho na Universidade Federal do Amazonas (Ufam). O encontro será a partir das 8h, no Bosque da Resistência, em frente à instituição de ensino.

O protesto tem o objetivo de reunir docentes, Técnico-administrativos(as) em Educação (TAEs) e estudantes que desejam se manifestar contra as condições de trabalho e ensino resultantes dos sucessivos cortes nos orçamentos das Instituições Federais de Ensino Superior do país.

Problemas estruturais

Em reunião com a Diretoria da ADUA (gestão 2022-2024) no dia 11 de março, docentes e estudantes do curso apresentaram uma série de problemas estruturais que vêm enfrentando. Entre as questões relatadas estiveram transportes sucateados para realização de trabalhos de campo; aparelhos de ar-condicionado inoperantes; cadeiras e pisos das salas de aulas quebrados; panes elétricas e falta de água.

Os relatos evidenciaram a precarização do trabalho docente na Ufam e o impacto negativo no ensino, pesquisa e extensão.

“A situação “é um reflexo dos sucessivos cortes nos orçamentos das instituições públicas de ensino que vem ocorrendo ao longo dos anos, o que promove o sucateamento das universidades, afeta as condições de trabalho e de ensino e gera adoecimento”, destacou o presidente da ADUA, professor Jacob Paiva.

A ADUA denunciou que o orçamento da Ufam chegou, no ano de 2022, a um valor R$ 318 milhões inferior ao necessário, considerando a relação entre receita e número de matrículas na instituição em 2021.

Com informações da assessoria