Agência da ONU diz que destruição da Faixa de Gaza é indescritível

Segundo a UNRWA, a remoção dos escombros levará anos na Faixa de Gaza
Em torno de 55% dos edifícios da Faixa de Gaza foram danificados pelas agressões israelenses (Foto: Divulgação)

A Agência das Nações Unidas para os Refugiados da Palestina (UNRWA) afirmou, nesta segunda-feira (10/06), que o nível de destruição na Faixa de Gaza, provocado pelas agressões de Israel, é indescritível e que a remoção dos escombros levará anos.

“A destruição na Faixa de Gaza é indescritível”, afirmou a agência, citando estudo recente do Centro de Satélites das Nações Unidas (Unosat) que indica que 55% dos edifícios do território palestino foram danificados pelas agressões israelenses, lançadas sob o pretexto de combater o grupo Hamas.

A remoção dos escombros “levará anos”, mas “a cura do trauma psicológico da guerra levará ainda mais tempo”, disse a UNRWA, apelando a um cessar-fogo imediato em mensagem publicada na rede social X: “Este sofrimento tem de acabar”.

A Unosat adiantou na semana passada que 36.591 estruturas foram destruídas, 16.513 severamente danificadas, 47.368 moderadamente danificadas e 36.825 possivelmente danificadas no âmbito dessas agressões, acrescentando que quase 55% das estruturas “foram afetadas”, sendo Deir al-Bala’a e a cidade de Gaza as mais atingidas desde 1º de abril.

Israel lançou uma guerra contra a Faixa de Gaza na sequência dos ataques perpetrados pelo Hamas, que teriam matado 1,2 mil pessoas, além da captura de 240 israelenses, a maioria de militares envolvidos em agressões contra a Faixa de Gaza.

Desde então, o Ministério da Saúde palestino registrou mais de 37 mil mortes, além de mais de 520 assassinatos cometidos por Israel na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental, em consequência de ataques das forças da ocupação israelense ou de colonos judeus.

Com informações das agências internacionais de notícias