Ataque de Israel mata 64 palestinos na Faixa de Gaza

Ao menos 64 palestinos foram assassinados, entre a noite de sexta-feira (21/06) e a manhã deste sábado (22/06), em dois ataques israelenses contra a Faixa de Gaza. Uma das agressões atingiu o campo de refugiados de Al-Shati e matou mais 42 pessoas, segundo o Ministério da Saúde local. Outras 22 pessoas foram mortas após Israel atacar a sede do Crescente Vermelho, braço muçulmano da Cruz Vermelha.

De acordo com o Crescente Vermelho, outras 45 pessoas foram feridas no mesmo ataque. A sede da organização estava cercada de tendas de acampados quando foi atingida. O número de vítimas ainda pode aumentar.

“Ao disparar projéteis tão perto de estruturas humanitárias, cuja localização ambas as partes do conflito conhecem e que estão identificadas com o emblema do Crescente Vermelho, vidas de civis e de trabalhadores [da organização] são colocadas em risco. Esse grave incidente é apenas mais um de muitos nos últimos dias”, disse o Comitê Internacional da Cruz Vermelha em nota.

Sobre o ataque a campos de refugiados, Israel alega que realizou uma ação contra uma “infraestrutura militar” na Faixa de Gaza.

Balanço

O massacre de Israel contra o povo palestino dura quase nove meses. A Organização das Nações Unidas (ONU) contabiliza que 1 milhão de pessoas passam fome por causa do conflito.

O Ministério da Saúde anunciou, no sábado, que 37.396 pessoas foram assassinadas por Israel na Faixa de Gaza desde outubro do ano passado. Além disso, outras 85.911 ficaram feridas no mesmo período.

Com informações das agências internacionais