CPI para apurar denúncias contra Hapvida pode ser aberta na Aleam

O caso também será apurado pelo titular da Delegacia Especializada em Crimes Contra o Consumidor
O plano de saúde tem sido alvo de denúncias (Foto: Divulgação)

Uma proposta de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as denúncias de falta de atendimento e descumprimento de acordos por parte do plano de saúde Hapvida, especialmente em relação às mães atípicas e suas crianças autistas que são usuárias do plano, foi entregue na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), nesta quinta-feira (13/06).

A proposta é do deputado Mário César Filho (União Brasil), que ouviu um grupo de mães que fez denúncias de dificuldade no acesso a serviços de saúde adequados. Ele também informou que acionará o secretário de Segurança Pública do Amazonas, coronel Vinícius de Almeida, para apurar o caso das mães atípicas levadas ao 22º Distrito Integrado de Polícia (DIP), após lutarem pelos direitos de utilização de serviços médicos para tratamento de seus filhos.

O caso também será apurado pelo titular da Delegacia Especializada em Crimes Contra o Consumidor (Decon-AM), Rafael Guevara.

Em vista das recorrentes violações dos direitos dos pacientes, especialmente das mães atípicas e suas crianças autistas, o deputado tomou a iniciativa de propor a instauração de uma CPI para investigar a conduta da empresa, e contou com o apoio dos demais parlamentares.

“Estou em contato e na luta com as mães atípicas por conta das recorrentes denúncias de falta de atendimento e descumprimento de acordos por parte do plano de saúde Hapvida, especialmente em relação às mães atípicas e suas crianças autistas. Por isso, tomei a decisão de propor a instauração de uma CPI para investigar essa conduta e garantir que os direitos dos pacientes sejam respeitados, iremos agora, coletar a assinatura dos demais deputados para então criarmos o grupo de trabalho”, afirmou.

As denúncias, que incluem falta de atendimento, ausência de canais de comunicação e fornecimento inadequado de medicamentos, têm sido recebidas com preocupação crescente pela Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Amazonas (CDC-Aleam), presidida pelo parlamentar.

Com informações da assessoria