Deputados pedem prisão de Bolsonaro após se esconder na Embaixada da Hungria

Luciene Cavalcante (PSOL-SP) foi quem encaminhou a representação ao ministro Alexandre de Moraes

Após a divulgação da notícia de que o ex-presidente Jair Messias Bolsonaro (PL) se abrigou na embaixada da Hungria no Brasil, durante operação da Polícia Federal que apreendeu o seu passaporte, deputados federais acionaram o Supremo Tribunal Federal e a Procuradoria-Geral da República para solicitar a prisão preventiva dele. A representação foi encaminhada na tarde desta segunda-feira (25/03).

Luciene Cavalcante (PSOL-SP) foi quem encaminhou a representação ao ministro Alexandre de Moraes alegando que, ao acionar a embaixada do país, comandado pelo extremista de direita Viktor Orbán, Bolsonaro teria descumprido o objetivo da apreensão de seu passaporte e sinalizado uma tentativa de deixar o território nacional para evitar a prisão. O deputado Lindbergh Farias (PT-RJ) enviou uma representação ao procurador-geral da República, Paulo Gonet, na qual afirma que a conduta de Bolsonaro “indica claramente uma tentativa de blindagem com apoio de governo estrangeiro.

Revelação

A estadia do ex-presidente na embaixada foi revelada pelo jornal The New York Time. As gravações mostram que Bolsonaro chegou à embaixada em 12 de fevereiro, acompanhado de dois seguranças, e lá permaneceu por dois dias. Em 8 de fevereiro, a PF havia deflagrado uma operação sobre a trama golpista para impedir a posse de Lula (PT). Na ocasião, o objetivo era apreender o passaporte do ex-presidente.