INDT desenvolve solução que rastreia ativos em qualquer lugar do mundo

Software, Hardware, Firmware e Internet das Coisas (IoT) foram as tecnologias utilizadas pelo INDT para criar o rastreador híbrido inteligente com baixo consumo de energia
Rastreador híbrido desenvolvido pelo INDT tem baixo consumo de energia e várias outras vantagens (Foto: Divulgação/INDT)


Rastreabilidade é um dos assuntos mais estratégicos para quem trabalha com logística em áreas de baixa ou nenhuma conectividade. Saber exatamente onde a carga está se deslocando otimizaria o planejamento, por exemplo, para uma cadeia de suprimentos de ponta a ponta.

Atentos a essa necessidade, pesquisadores do Instituto de Desenvolvimento Tecnológico (INDT), com sede no Polo Industrial de Manaus (PIM), criaram um rastreador híbrido inteligente com baixo consumo de energia que garante o rastreio em qualquer lugar do mundo.

O projeto, que está sendo desenvolvido para uma empresa do PIM, aplica os dois tipos de conectividade mais modernos do mercado para a Internet das Coisas (IoT), rastreando ativos em qualquer lugar do mundo e em tempo real. Os tipos de conectividade são as de comunicação com satélites de baixa órbita; e a rede LoRaWAN pública, que hoje está disponível em todas as capitais brasileiras e cidades de grande e médio porte.

O diferencial do projeto é que o firmware do dispositivo é dotado de um algoritmo que permite a seleção mais adequada dos instantes chamados de  sleep mode sem prejuízo da funcionalidade de localização e alertas. O firmware implementa um processamento de baixíssimo consumo de energia, permitindo uma maior economia e maior duração da bateria

O gerente de Projetos do INDT, Sérgio Abreu, explica o projeto com um exemplo prático: “Hoje, as formas que você tem para rastrear cargas, objetos ou qualquer ativo são através de conexão via satélite. Se um navio saiu com uma carga da China para chegar a Manaus não há como haver o tracking preciso da carga. A empresa tem apenas checkpoints desse movimento. Nos casos de navios, que contam com tracking mais preciso, há um custo muito alto porque é via satélite”, afirmou Abreu. 

“A nossa solução identifica as redes disponíveis, entre satélite e LoRaWAN, e escolhe a que for mais barata dependendo da localização da carga. Isto traz uma enorme economia para as empresas”, disse Abreu.

Sérgio Abreu é gerente de Projetos do INDT (Foto: Divulgação/INDT)

Amazônia

Segundo o gerente de Projetos do INDT, a solução é ideal para a região amazônica, mas atende qualquer localidade que não tenha cobertura de conectividade. Podem ser rastreados desde cargas em caminhões ou alto mar, até gados, objetos e outros ativos.

Vantagens

Conforme o INDT, o uso do rastreador híbrido inteligente desenvolvido pelo instituto tem várias vantagens. São elas: rastreabilidade em áreas urbanas e remotas; rastreabilidade de materiais e produtos da cadeia de suprimentos, em áreas urbanas e remotas (no meio do oceano, em florestas, desertos e meios rurais), redução de custos, maior visibilidade do estoque em trânsito e redução de custos de armazenagem de materiais e produtos, integração de dados, dados para integração com sistemas de Indústria 4.0, localização precisa e contínua, dados de localização contínua e precisa para prevenção dos principais problemas logísticos, como roubos de carga e integração a sistemas legados.

Sobre o INDT 

O Instituto de Desenvolvimento Tecnológico (INDT) foi fundado em 2001 pela Nokia. Em 2013, passou a atuar como Centro de P,D&I da Microsoft, permanecendo até 2016, quando se tornou um instituto independente, mantendo-se como um dos maiores Centros de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação do País. O INDT oferece soluções nas áreas de Software, Hardware & Firmware, Comunicação e Redes, Manufatura Avançada, Veículos Autônomos e Robótica, Materiais e Química, e BioTech.