Israel amplia agressões contra o Líbano e Hezbollah derruba drone

Israel tem atacado civis libaneses em áreas que ficam distante da fronteira (Foto: Divulgação)

Um vídeo divulgado, nesta segunda-feira (26/02), mostra o momento exato em que um avião não-tripulado israelense modelo Hermes 450 pega fogo após ser abatido no Líbano. O drone foi derrubado por mísseis lançados pelo Hezbollah, grupo libanês cujo braço armado – a “Resistência Islâmica” -, tem travado confrontos com as tropas israelenses na fronteira.

A derrubada do drone ocorre num momento que Israel tem ampliado a escalada da violência contra o Líbano, atacando civis e cidades libanesas que ficam distante da fronteira, onde o conflito tem se concentrado.

Baalbeck

Nesta segunda-feira (26/02), os agressores israelenses atacaram pela primeira vez a região de Baalbeck, ao leste do Líbano. A cidade histórica é conhecida por abrigar ruínas antigas da época dos romanos, que são consideradas Patrimônio Mundial da Unesco.

Ao menos dois combatentes da Resistência Libanesa foram assassinados no local. O Hezbollah retaliou e atacou várias bases militares israelenses, causando baixas. Israel, porém, optou por não divulgar suas casualidades.

Ataques contra civis e crianças

Hezbollah e Israel entraram em confronto na fronteira libanesa-israelense desde o ataque a Israel em 7 de outubro pelo grupo palestino Hamas. Porém, nas últimas semanas, Israel tem atacado áreas libanesas que ficam distantes da fronteira, como a cidade turística e histórica de Sidon, e a própria capital Beirute.

Os ataques israelenses desde outubro mataram em torno de 50 civis no Líbano, incluindo crianças, além de quase 200 combatentes do Hezbollah.

Os ataques do Hezbollah mataram uma dúzia de soldados israelenses, conforme dados oficiais de Israel. Porém, a mídia israelense afirma que esse número é bem maior, podendo chegar a 2 mil o número de soldados israelenses mortos e feridos em quase cinco meses de confrontos.

Com informações das agências internacionais de notícias