Israel mata 12 civis no Líbano, incluindo cinco crianças, e Hezbollah promete retaliação

Família libanesa inteira foi exterminada pelos terroristas israelenses no Líbano (Foto: Rede Social)

Ao menos 12 civis libaneses, incluindo cinco crianças, foram assassinados por Israel, na quarta-feira (14/02), em ataques promovidos pelo regime sionista contra cidades do sul do Líbano. As agressões israelenses foram as mais mortais para os civis libaneses em quatro meses de confrontos na fronteira entre o Líbano e Israel.

Autoridades do Hezbollah – grupo que lidera a Resistência contra a ocupação israelense do território libanês -, afirmaram que Israel pagará “o preço” pela morte de civis libaneses

“O inimigo pagará o preço por esses crimes. A resistência continuará a praticar seu direito legítimo de defender seu povo”, disse o deputado do Hezbollah Hassan Fadlallah em declaração à imprensa.

Agressões

A primeira carnificina ocorreu, ainda pela manhã, quando Israel matou uma mulher e seus dois filhos – um menino de 13 anos e outro de apenas dois anos -, no vilarejo de al-Sawana, na fronteira. A noite, os agressores israelenses atacaram um prédio residencial na cidade de Nabatieh, uma das maiores no sul do Líbano, assassinando uma família inteira, composta de nove pessoas, incluindo o pai, a esposa, duas filhas do casal, a irmã dele, uma sobrinha e três netos.

Uma criança chegou a ser resgatada com vida dos escombros da casa atacada. A cena do resgate causou comoção no Líbano.

Libaneses retaliam

Questionado sobre o ataque a Nabatieh, um porta-voz do Exército israelense disse na quinta-feira que estava aguardando mais informações “sobre esse evento”.

Após as primeiras agressões israelenses contra o território libanês, foguetes foram disparados do Líbano contra uma base militar de Israel na cidade de Safed (a 15 quilômetros da fronteira libanesa), resultando na morte de uma militar e em outros oito feridos, segundo informações das forças de ocupação israelense. O Hezbollah não declarou ser responsável por esse ataque.