Lei Seca: 162 motoristas alcoolizados caem em blitz do Detran no Carnaval

Dos 542 condutores atuados, 114 estavam dirigindo sob efeito de álcool e 48 se recusaram a fazer o teste do bafômetro

O Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), por meio da equipe de Fiscalização de Trânsito, realizou, desde domingo (11/02) até a madrugada desta quarta-feira de Cinzas (14/02), em todas as zonas da cidade de Manaus, a operação Lei Seca, quando foram autuados 162 motoristas por alcoolemia e recusa. 

Dos 542 condutores atuados, 114 estavam dirigindo sob efeito de álcool e 48 se recusaram a fazer o teste do bafômetro.

“O Detran Amazonas vem desde janeiro fiscalizando as primeiras bandas de carnaval, focando sempre na Lei Seca. Importante ressaltar que nosso objetivo não é proibir o nosso cidadão de se divertir, mas sim salvar vidas”, declarou o diretor-presidente do Detran Amazonas, Rodrigo de Sá. 

A equipe de Fiscalização de Trânsito do Detran-AM, atuou com mais de 70 agentes, onde além da fiscalização da “Lei Seca”, também atuaram nas operações rotineiras. 

“A fiscalização do Detran Amazonas além do reforço na Lei Seca que ocorre durante todo o ano, não deixamos também de atuar nas operações corriqueiras, onde queremos o máximo possível, trazer a sensação de segurança para a população”, disse o coordenador da Fiscalização, Arthur Cruz. 

Rolezinho

Ainda durante a fiscalização do Carnaval, na madrugada de terça-feira (13/02), o Detran deflagrou mais uma operação “rolezinho” (quando o condutor da motocicleta faz manobras arriscadas e perigosas), com o apoio da Polícia Militar do Amazonas (PMAM), em dois pontos da zona leste de Manaus.

Ao todo foram cerca de 50 motocicletas removidas, pelo uso da descarga livre, placas adulteradas, além da falta do equipamento de segurança obrigatório.

“Recebemos muitas denúncias da população e de moradores próximos a esses pontos. Essa era uma demanda da sociedade, para que os órgãos competentes atuassem para inibir esses encontros. O Detran deu a resposta e iremos continuar as operações em outros locais da capital”, declarou o coordenador da fiscalização Arthur Cruz.

Com informações da assessoria