Na Aleam, Suframa fala sobre viés turístico do programa ‘Zona Franca de Portas Abertas’

O programa agrega mais uma oportunidade de negócios ao PIM

A Sessão Plenária desta quinta-feira (09/05), na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), foi marcada pela realização de Cessão de Tempo, solicitada pelo deputado Dr. George Lins (UB), em favor de representantes da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), que falaram aos parlamentares e demais presentes sobre o programa Zona Franca de Portas Abertas (ZFPA), que oferece opções de visitas monitoradas a fábricas instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM).

O deputado explicou que o programa foi criado em 2021, porém somente está sendo implementado agora, em 2024, em virtude da pandemia da Covid-19.

“O programa agrega mais uma oportunidade de negócios ao PIM. Daí a importância de trazermos os representantes para divulgar mais esse programa, apoiando o desenvolvimento econômico amazonense”, destacou Lins.

O superintendente adjunto executivo da Suframa, Luiz Frederico de Aguiar, e a coordenadora do programa, Rosângela López Alanís, explicaram que um dos principais objetivos do ZFPA é aumentar o relacionamento das empresas do PIM com a sociedade (instituições de ensino, turistas locais, nacionais e internacionais), como uma forma de divulgar as atividades desenvolvidas, destacando os efeitos socioeconômicos e ambientais do modelo Zona Franca de Manaus (ZFM).

“A Suframa atua na economia da Amazônia, e seguindo essa missão, o ZFPA visa fomentar o turismo, desenvolvendo um turismo industrial”, disse Aguiar, explicando que o turista vem visitar o Amazonas e sabe que tem um Distrito Industrial. Com o ZFPA, esse turista poderá visitar uma das 10 fábricas, até agora cadastradas, ver palestra ou filme curto sobre o PIM, sobre o processo de produção e conhecer as instalações da fábrica.

A coordenadora Rosângela López explicou que nos anos de 2022 e 2023 foram realizadas várias visitas-testes, para que fossem feitos ajustes e se chegasse ao modelo deste programa de turismo industrial. O tempo da visita é entre 1h e 1h30, com grupos de 15 a 25 pessoas.

Ela explicou que, por meio de parcerias com a Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) e Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), que foram o elo com agências de turismo, foram viabilizadas essas visitas.

As agências, organizações públicas e privadas ou instituições de ensino e pesquisa devem agendar as visitas pelo e-mail coece@suframa.gov.br, informando o nome da instituição e o perfil dos visitantes: área de atuação, faixa etária, local de origem. Dentre as 10 fábricas cadastradas pela Suframa estão empresas fabricantes de bicicletas, motocicletas, condicionadores de ar e televisores.

Com informações da assessoria