Omar Aziz chama Milei de ‘moleque’, ‘vagabundo’ e ‘bandido’ após ataque do extremista argentino contra Lula

Postura do senador amazonense foi uma reação aos ataques impertinentes de Milei contra o presidente brasileiro
Omar Aziz fez duras críticas ao líder extremista argentino, Javier Milei (Foto: Divulgação)

O senador Omar Aziz (PSD-AM) rebateu, na quarta-feira (03/07), os novos ataques do presidente da Argentina, Javier Milei, contra o presidente Lula (PT). Aziz se referiu a uma publicação de Milei nas redes sociais, na última terça-feira (02/07), na qual se referiu a Lula como “comunista” e “preso por corrupção”.

“Eu não posso aceitar que um vagabundo, um bandido que aparece do nada, que não tem história nenhuma, que nunca produziu absolutamente nada pelo povo argentino chegue e vá falar do presidente do nosso país. Temos que nos posicionar, não só a favor do Lula, mas de qualquer outro ex-presidente. É um cidadão brasileiro que esteve na presidência através do voto direto”, disse Aziz durante sessão da Comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor, ao qual preside.

O senador amazonense ainda afirmou que “não dá para aplaudir o Milei, que está dando uma de moleque, que vai para a internet falar mal de um presidente da República”.

“Isso é coisa de moleque, de vagabundo. O Milei é vagabundo. A Argentina tem um presidente que é vagabundo, que, em vez de cuidar dos problemas da Argentina, quer se meter em outro país, atacar outro país”, disse Omar Aziz.

Na sessão da comissão estavam, entre outros, os bolsonaristas Marcos Rogério (PL-RO) e Damares Alves (Republicanos-DF). Segundo Omar Aziz, a “Argentina tem um presidente vagabundo que, em vez de cuidar dos problemas da Argentina, quer se meter e atacar um outro país”.

“Se fosse o presidente [Jair] Bolsonaro [PL] nesse momento, eu estaria falando a mesma coisa. Nenhum vagabundo, seja o presidente de qualquer outro país, tem o direito de atacar o Brasil”, declarou.

Milei tem feito críticas ao presidente Lula desde a semana passada. Já Lula, que também critica o presidente argentino, disse que ainda não se reuniu com o libertário porque espera um pedido de desculpas, mas o chefe argentino se recusa a se retratar.