Presidente do Irã, Ebrahim Raisi, morre aos 63 anos em acidente de helicóptero

Além dele, outras oito pessoas morreram no acidente, incluindo o ministro das Relações Exteriores, Hossein Amir Abdollahian
Ebrahim Raisi era presidente do Irã desde 2021 (Foto: Divulgação/Presidência do Irã)

A República Islâmica do Irã está de luto. O presidente do país, Ebrahim Raisi, morreu aos 63 anos no acidente ocorrido, no domingo (19/05), envolvendo o helicóptero que o transportava na região do Azerbaijão Oriental. A informação foi confirmada pela agência de notícias do Irã – IRNA -, por volta das 8h30 (horário local) da manhã desta segunda-feira (20/05).

Além dele, morreram na tragédia, também, o ministro das Relações Exteriores, Hossein Amir Abdollahian, o governador da província do Leste do Azerbaijão, Malek Rahmati, o chefe da equipe de guarda de Raisi, e Mehdi Mousavi, o representante do Líder Supremo na província, Mohammad Ali Al-e-Hashem, o piloto e o copiloto – cujos nomes ainda não foram divulgados -, e mais uma pessoa não identificada, totalizando nove o número de vítimas fatais.

De acordo com a mídia iraniana, o helicóptero do presidente fazia parte de uma caravana composta de mais dois helicópteros, que estava a caminho da cidade de Tabriz, no nordeste do país, depois da comitiva ter inaugurado a barragem Qiz Qalasi, na fronteira com a vizinha República do Azerbaijão, no início do domingo. Quase duas horas após a decolagem, a aeronave caiu em uma área montanhosa e de difícil acesso na região de Varzaqan, na província do Azerbaijão Oriental, dentro do território iraniano.

Logo após a queda do helicóptero, várias equipes de resgate e socorro foram enviadas à região para ajudar nas operações de busca. O nevoeiro e a intransitabilidade da área dificultaram as operações de resgate, que contou com o apoio de outros países, como Turquia e Rússia. As equipes de socorro chegaram a utilizar drones nas operações de busca.

Segundo a emissora estatal, os outros dois helicópteros que estavam no comboio conseguiram voltar em segurança. O Ministro da Energia, Ali Akbar Mehrabian, e o Ministro da Habitação e Transportes, Mehrdad Bazrpash, estavam nos outros helicópteros.

A causa do acidente ainda está sob investigação. A suspeita inicial é de que o mau tempo teria causado o acidente. Porém, outras causas não foram descartadas. Os preparativos oficiais para o luto ainda não foram anunciados pelas autoridades.

Além do presidente Raisi (ao centro), outras autoridades iranianas morreram na queda do helicóptero numa área montanhosa no nordeste do país (Fotos: Reprodução)

Sucessor

O primeiro-vice-presidente do Irã, Mohammad Mokhber, 69 anos, é quem deve assumir o cargo de presidente com a morte de Ebrahim Raisi.

O governo do vice, porém, é transitório. A Constituição do Irã estabelece que um conselho composto pelo vice-presidente, pelo presidente do Parlamento e pelo chefe do Judiciário deve organizar eleições para a escolha de um novo chefe do Poder Executivo em até 50 dias.

Nascido na cidade de Dezful (a 680 quilômetros de Teerã), Mohammad Mokhber tem uma longa trajetória na vida pública. Entre outros cargos, ele chefiou um órgão paraestatal que participa em quase todos os setores da economia iraniana e é supervisionada diretamente pelo líder supremo, o Aiatolá Ali Khamenei.

Perfil

O presidente do Irã, Ebrahim Raisi, tinha 63 anos. Ele nasceu em 14 de dezembro de 1960 na cidade sagrada de Mashhad, no nordeste do país, próximo das fronteiras com Afeganistão e Turquemenistão.

Foi eleito presidente em 2021. Antes disso, atuou como chefe do Judiciário, procurador-geral e vice-presidente da Assembleia de Peritos. Ele era o oitavo presidente eleito desde implantação da República Islâmica no Irã, em 1979.

Raisi era próximo do Líder Supremo da Revolução Islâmica, Aiatolá Seyyed Ali Khamenei, e era apontado como seu provável sucessor. Em Setembro de 2023, por ocasião da Semana do Governo no Irã, Khamenei elogiou o desempenho da administração Raisi em vários setores, incluindo a economia e política externa.

Khamenei afirmou que o povo iraniano deveria manter a calma e estar confiante de que o incidente não teria impacto nas operações de rotina do país. “A nação iraniana não deveria estar preocupada. Não haverá interrupção nas operações do país”, disse o Aiatolá Khamenei.

Raisi tinha um longo histórico na vida política do Irã (Foto: IRNA)

Iranianos lamentam morte de Raisi

Num comunicado divulgado nesta segunda-feira (20/05), o gabinete iraniano destacou que o presidente do Irã, o aiatolá Ebrahim Raisi, foi “martirizado no mesmo dia do aniversário de nascimento do Imam Reda (AS)”, o oitavo imam (líder religioso espiritual) para os muçulmanos do ramo do Xiismo (partidários de Ali, genro do profeta Muhammad e quarto califa).

“O presidente incansável e trabalhador fez o sacrifício final no caminho para servir a sua nação”, disse o gabinete em nota.

O comunicado prosseguiu salientando que Raisi sempre tomou medidas para ajudar o país a avançar. Os ministros apresentaram condolências pelo martírio do presidente Raisi e dos demais passageiros que estavam no helicóptero acidentado.

“Garantimos à nossa nação leal, apreciativa e amada que o caminho do serviço continuará com o espírito incansável do Aiatolá Raisi, o herói e servo da nação e o amigo fiel da liderança, e com a ajuda do Deus Todo-Poderoso e cooperação das pessoas honradas, não haverá nenhuma falha na gestão lutadora do país”, acrescentou o comunicado.

População chora morte do presidente

Imagens divulgadas por emissoras iranianas mostraram pessoas chorando, enquanto outras rezavam nas mesquitas pelas vítimas do acidente.

A IRIB TV e outras estações de TV locais transmitiram imagens de iranianos em luto reunidos enquanto as imagens dos destroços do helicóptero eram transmitidas ao vivo, sem sobreviventes encontrados no local.

Equipes de resgate observam destroços do helicóptero que transportava presidente do Irã (Foto: Reprodução)