Secretaria de Saúde esclarece sobre a virose da mosca

Principais sintomas incluem febre, dor abdominal, vômitos, diarreia e, em alguns casos, com presença de sangue ou muco nas fezes e desidratação.

A Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas, por meio da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), esclarece sobre a “virose da mosca”, termo que se refere às Doenças de Transmissão Hídrica e Alimentar, causadas pela ingestão de água ou alimentos contaminados por vírus e bactérias. A nota está disponível em: abre.ai/hPMR.

As moscas podem estar envolvidas na transmissão veicular desses vírus e bactérias que os carregam para as superfícies do corpo humano. Os sintomas incluem febre, dor abdominal, vômitos, diarreia e, em alguns casos, com presença de sangue ou muco nas fezes e desidratação.

No entanto, segundo destaca a diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim, a transmissão desses vírus ou bactérias ocorrerá se os alimentos contaminados ou em contato com moscas forem consumidos ou se as mãos e os utensílios contaminados não forem higienizados adequadamente.

“A ‘Virose da mosca’ é o nome popular dado às doenças diarreicas. Como as moscas reviram lixo e fezes atrás de comida, esses insetos podem ficar com vírus e bactérias infecciosos e levá-los para dentro dos ambientes familiares e para as pessoas. Por isso, é preciso reforçar as medidas de prevenção às doenças diarreicas”, enfatiza a diretora-presidente da FVS-RCP.

Prevenção

As principais medidas de prevenção às Doenças de Transmissão Hídrica e Alimentar incluem a higienização das mãos com água e sabão ou álcool a 70%, manuseio adequado de alimentos, ingestão de água tratada, além da manutenção de ambientes limpos e livres de resíduos para proteger os alimentos de moscas, baratas e outros animais que possam ser vetores da doença.

Em caso de sintomas suspeitos, a pessoa deve buscar atendimento médico mais próximo.