Seis em cada 10 brasileiros veem prejuízos de mudanças climáticas ao turismo, mostra pesquisa

27% dos entrevistados deixaram de fazer algum tipo de turismo com motivação de lazer devido a mudanças climáticas intensas

Agência Gov – Nesta sexta-feira (1º/03) é comemorado o Dia do Turismo Ecológico, celebração que busca promover patrimônios naturais e conscientizar visitantes quanto à necessidade de conservação ambiental. Para marcar a data, o Ministério do Turismo divulga informações inéditas de um levantamento do órgão que evidenciam a atenção – e também as preocupações – dos brasileiros em relação à sustentabilidade do setor.

Segundo o estudo, elaborado pelo Instituto de Pesquisa de Reputação e Imagem (IRPI), 27% dos entrevistados deixaram de fazer algum tipo de turismo com motivação de lazer devido a mudanças climáticas intensas. A análise também mostra que, na visão de 6 em cada 10 brasileiros (63%), as alterações no clima prejudicam a atividade turística, evidenciando como a questão pode comprometer o desenvolvimento do ramo no país.

O ministro do Turismo, Celso Sabino, frisa o empenho do governo federal no sentido de consolidar o setor como instrumento de proteção ambiental. “Em 2023, o MTur passou a contar com um Departamento de Qualidade, Sustentabilidade e Ações Climáticas no Turismo, destinado a promover ações na área. Também passamos a integrar, pela primeira vez, o Plano para Prevenção e Controle do Desmatamento da Amazônia, proporcionando o uso do turismo responsável como um forte vetor de proteção do bioma”, exemplifica.

O levantamento também revela o potencial da COP 30, que será realizada em 2025 em Belém (PA), para impactar positivamente o turismo. Na avaliação de 70% dos consultados, o evento, palco de discussões sobre sustentabilidade, será importante à cidade, ao Norte do país e ao Brasil. Outros 69% consideram congressos e eventos, a exemplo da própria COP 30, importantes ou muito importantes ao turismo – porcentagem maior que a de shows de artistas internacionais (58%).

Realizado com 2.029 entrevistas a cidadãos maiores de 16 anos de idade nas 27 Unidades da Federação, o estudo do IRPI aponta o turismo ecológico como uma das principais preferências dos brasileiros que pretendem viajar neste ano. Natureza/Ecoturismo ocupa o segundo lugar entre as maiores motivações dos consultados, citada por 27% dos participantes, atrás apenas de Sol e Praia (59%).

Iniciativas

O desenvolvimento do ecoturismo sustentável constitui uma das prioridades do MTur, que desenvolve várias ações no segmento. Uma delas é a Rede Nacional de Trilhas de Longo Curso e Conectividade (RedeTrilhas), trabalho conjunto com o Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima e o ICMBio que conecta paisagens de norte a sul do país, incluindo parques nacionais, e contribui para a conservação ambiental, além de movimentar economias locais.

A RedeTrilhas busca diversificar a oferta turística brasileira, de modo a estimular o turismo em áreas naturais, gerar oportunidades de emprego e renda para as comunidades nas quais os percursos se inserem e promover as trilhas de longo curso como instrumento de proteção da biodiversidade. Atualmente, o governo federal reconhece 7 trilhas, ou 2.295 quilômetros, por meio da ação. Outros 14 percursos seguem em processo de análise. (Saiba mais AQUI )

A sustentabilidade é, igualmente, um dos focos do Experiências do Brasil Original, promovido conjuntamente com a Universidade Federal Fluminense (UFF). O projeto estimula o turismo de experiência em áreas de povos tradicionais, a partir da capacitação de seus habitantes. No mês de novembro de 2023, foram validados 40 produtos dos roteiros participantes: a Comunidade Indígena Raposa I (Normandia-RR); a Comunidade Indígena Borari (Santarém-PA); a Terra Quilombola África (Moju-PA) e o Quilombo Povoado Moinho (Alto Paraíso-GO).

O Ministério do Turismo também apoia o Prêmio Braztoa de Sustentabilidade, uma seleção promovida anualmente pela Associação Brasileira das Operadoras de Turismo e que reconhece as melhores práticas no setor. O prêmio, cujos últimos vencedores foram anunciados em novembro de 2023, favorece o cumprimento da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável.

O MTur disponibiliza, ainda, o Mapa Brasileiro do Turismo Responsável, que destaca roteiros, experiências e destinos turísticos de todo o país com boas práticas de sustentabilidade e estimula a difusão de iniciativas. O sistema serve de referência para novas soluções e investimentos públicos e privados no ramo, além de representar uma importante fonte de consulta a turistas e à sociedade civil em geral.

Reconhecimento

Esforços do Brasil por avanços na pauta da sustentabilidade favoreceram uma importante conquista em 2023: a revista norte-americana Forbes, uma das mais conceituadas publicações de economia do planeta, apontou o país como o melhor local do mundo para ecoturismo entre 50 nações, superando México e Austrália. Atualmente, o Brasil ocupa o 3º lugar no ranking de atrativos naturais do Fórum Econômico Mundial, atrás apenas dos mesmos Austrália e México.