Suframa explica potencial da ZFM para diplomatas chineses

Diplomatas chineses foram recebidos na sede da Suframa (Foto: Divulgação/Suframa)

A Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) recebeu, na quinta-feira (27/06), a visita de representantes do Departamento Econômico e Comercial da Embaixada da China no Brasil para discutir as perspectivas de cooperação econômica e comercial entre chineses e brasileiros. 

A comitiva, liderada por Han Wenxiu, diretor executivo adjunto do Gabinete da Comissão Central de Finanças e Economia da China (cargo diplomático de nível ministerial), foi recepcionada pelo superintendente da Suframa, em exercício, Luiz Frederico Aguiar, técnicos da autarquia e representantes do Ministério das Relações Exteriores do Brasil.

No início da reunião, os diplomatas chineses ressaltaram a admiração e o interesse despertados pela Zona Franca de Manaus no país asiático.  “Sabemos que Zona Franca de Manaus é uma zona franca com maior dimensão do mundo e também uma zona franca com mais sucesso na América Latina, esse é o porquê de escolhemos visitar primeiro essa instituição aqui no Brasil, a ZFM. Já chegamos aqui ontem à noite e estamos curiosos para sabermos mais da ZFM”, observou Han Wenxiu, que também é diretor do Gabinete do Grupo Central de Liderança para as Áreas Rurais.

Apresentação

Durante o encontro, servidores da Suframa fizeram uma apresentação abrangente sobre o funcionamento da Zona Franca de Manaus, destacando as vantagens tributárias e as possibilidades de inovações tecnológicas a partir da Lei de Informática na Amazônia. Também foram enfatizados os potenciais ganhos logísticos derivados da utilização do Porto de Chancay, no Peru.

“Com a inauguração deste porto prevista para novembro, financiado em grande parte por investidores chineses, espera-se significativa redução nos custos de frete e tempo de viagem para o transporte de cargas pelo Pacífico, utilizando o Rio Amazonas como rota fluvial estratégica”, ressaltou a Aguiar.

Os representantes chineses demonstraram interesse em aspectos específicos da operação da ZFM, incluindo o motivo da não produção de automóveis e a produção atual de borracha. Em resposta, o superintendente da Suframa em exercício contextualizou a história da produção de borracha na Amazônia, abordou a lista de produtos com fabricação não permitida e presenteou a delegação com exemplares de um livro sobre a história da ZFM, além de uma cartilha em inglês com orientações detalhadas para investidores interessados na zona franca.

Importância da visita

A chefa do Escritório de Representação do Ministério das Relações Exteriores na Região Norte, ministra Maria Deize Camilo, destacou a importância estratégica da visita, mencionando os recentes avanços nas negociações bilaterais entre Brasil e China, especialmente após reuniões de alto nível que resultaram em promissores financiamentos conjuntos para projetos de neoindustrialização no Brasil.

“Os investimentos chineses são muito bem-vindos na região e esperamos avançar nas negociações até a visita do presidente da China ao Brasil no final deste ano”, afirmou a ministra, ressaltando a importância do relacionamento econômico entre os dois países.

“A visita da delegação chinesa à Suframa demonstra que está ocorrendo um aprofundamento das relações comerciais entre os dois países. A Autarquia, por sua vez, pretende contribuir com esse diálogo entre a China e o Brasil, demonstrando que a Amazônia é uma área ideal para receber investimentos e acordos de cooperação com os chineses”, frisou a ministra.