AM tem 17 mortes e mais de 1,8 mil casos de vírus respiratório em 2024

As principais comorbidades dos pacientes de SRAG por vírus respiratórios foram cardiopatias
Ao menos 17 mortes por síndrome respiratória já foram registradas em 2024, no Amazonas (Foto: Divulgação)

De 1º de janeiro a 8 de junho deste ano, o Amazonas registrou 1.868 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), sendo que 378 notificações ocorreram no período de 19 de maio a 8 de junho, com 17 mortes confirmadas durante todo o ano de 2024. Dos casos notificados de SRAG, 823 foram por vírus respiratórios – 161 somente as últimas três semanas.

Os dados são da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP). O documento está disponível em www.fvs.am.gov.br.

Segundo informações da FVS-RCP, no período de 19 de maio a 8 de junho, as principais comorbidades dos pacientes de SRAG por vírus respiratórios foram cardiopatias (32,7%), diabetes (14,3%), pneumopatias (12,2%), hipertensão (12,2%), asma (10,2%), imunodepressão (8,2%) e doença neurológica (8,2%). A faixa etária mais atingida são crianças menores de 1 ano (54,7%) e de 1 a 4 anos (18,6%), seguidas de pessoas com 60 anos ou mais (13%).

Prevenção

Para prevenir a SRAG, a recomendação é a adoção de medidas não farmacológicas, como o uso de máscaras de proteção respiratória, manter as mãos higienizadas, etiqueta respiratória e a vacinação contra covid-19 e influenza.

Com informações da assessoria