Amom Mandel será denunciado por crime ambiental após jogar lixo em via pública

Parlamentar será denunciado de forma administrativa e criminal pela Prefeitura de Manaus
Amom Mandel é acusado de jogar toneladas de lixo em via pública (Foto: Divulgação)

O deputado federal, Amom Mandel (Cidadania), deverá ser denunciado de forma administrativa e criminal pela prática de crime ambiental, após descartar toneladas de lixo às margens de via pública. A informação foi confirmada, neste sábado (13/04), pela Prefeitura de Manaus.

De acordo com a denúncia, Amom Mandel despejou, em via pública, em frente à entrada do aterro sanitário da cidade, na quilômetro 19 da rodovia AM-010, em torno de quatro toneladas de lixo, mesmo tendo sido orientado por funcionários do local a realizar o descarte em coletores autorizados.

O secretário Municipal da Limpeza Urbana (Semulsp), Sabá Reis, acusou Amom Mandel de tentar invadir o local e o exortou o parlamentar a respeitar as regras de acesso a locais públicos.

“O aterro tem ordem. Aqui tem procedimentos, tem que ser autorizado. A gente precisa saber que tipo de lixo é, para dar a destinação correta”, explicou o secretário ao acusar Amom Mandel de interromper o acesso ao aterro dos carros coletores por mais de uma hora.

PGM é acionada

Por sua vez, o secretário de Meio Ambiente, Sustentabilidade e Mudança do Clima (Semmasclima), Antônio Stroski, afirmou que a Procuradoria-Geral do Município (PGM) já foi acionada para dar continuidade aos procedimentos legais.

“Qualquer um que faz o descarte irregular de lixo em via pública é passível de punição administrativa e, também, criminal. Nós, da prefeitura, já estamos tomando todas as providências em torno dessa irregularidade, prevista no Artigo 137 do Código Ambiental de Manaus”, disse o titular da Semmasclima.

Legislação

A lei de crimes ambientais prevê pena de reclusão, de um a cinco anos, além de multa a quem incorrer em infrações por lançamento de resíduos sólidos, líquidos ou gasosos, ou detritos, óleos ou substâncias oleosas, em desacordo com as exigências estabelecidas em leis ou regulamentos.

Roubo

Funcionário do Aterro Sanitário de Manaus há mais de um ano, Antônio Luiz Pires, 54, relatou que teve uma bolsa, onde estavam pertences pessoais, levada por uma mulher que acompanhava o parlamentar. 

“Eu sugeri que eles colocassem o material que eles trouxeram nos coletores autorizados, mas eles não quiseram ouvir. O motorista que dirigia uma das caçambas ameaçou até quebrar a cancela da portaria para entrar no aterro. No meio da confusão que se instalou, uma mulher loira, que acompanhava o deputado, levou a minha bolsa, onde estava um carregador, uns trocados (dinheiro) e minha térmica. Só quero que devolvam o que é meu”, declarou Antônio Pires.

Outro lado

Em sua rede social, o deputado Amom Mandel negou que tenha cometido crime ambiental. Ele destacou que foi impedido de entrar no aterro sanitário, onde iria despejar toneladas de lixo que foram recolhidos com a ajuda de voluntários de um igarapé de Manaus.

“Contamos com a ajuda de centenas de pessoas para limpar um igarapé e fomos impedidos de entrar no aterro sanitário e dar o destino correto para esses resíduos. O único crime cometido foi da parte deles, da Prefeitura de Manaus, por não recolherem o lixo adequadamente na cidade de Manaus”, disse.