Após criticar Lula, Sassá do PT reproduz discurso da extrema-direita para atacar Alexandre de Moraes

Companheiros da esquerda têm criticado o posicionamento do vereador Sassá, que tem se assemelhado com o da extrema-direita brasileira
Sassá é vereador do PT, mas tem reproduzido discurso típico da extrema-direita, que é antipetista (Foto: Divulgação)

O vereador Sassá da Construção Civil é do PT, mas suas últimas falas na Câmara Municipal de Manaus (CMM) tem reproduzido um discurso típico da extrema-direita brasileira.

Após criticar as declarações do presidente Lula (PT), que classificou como genocídio a matança praticada por Israel contra civis palestinos na Faixa de Gaza, o parlamentar, durante uma fala que tinha como alvo o vereador Rodrigo Guedes (Podemos) no plenário da CMM, acabou desferindo ataques contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, que, na visão do petista, é “autoritário” e “quer mandar em tudo”.

O novo posicionamento de Sassá na CMM revoltou os colegas da esquerda, já que seu posicionamento se assemelha aos dos políticos da extrema-direita na Casa Legislativa. Nos bastidores da política corre a informação de que companheiros do vereador já pediram um posicionamento, uma espécie de punição, por parte da diretoria estadual do PT sobre as falas dele. O Panorama Real tentou contato com o presidente estadual da sigla, Valdemir Santana, mas não obteve sucesso.

‘Igual ao Alexandre de Moraes’, diz Sassá

Na sessão de segunda-feira (11/03) na CMM, Sassá criticou Rodrigo Guedes e o comparou com o ministro Alexandre de Moraes.

“Temos um cidadão que ataca todo mundo. Ele é o dono da verdade. Ele é o cara, é o dono da Justiça. Ele é Juiz, ele é tudo! O povo lá fora está vendo quem está trabalhando e quem não está. A Vossa Excelência tem que tomar cuidado quando fala com os colegas aqui dentro. Agora só falta ser o Alexandre de Moraes: quer mandar em tudo”, disse.

Odiado pela direita

Alexandre de Moraes é quem está a frente das investigações do ataque golpistas de 08 de janeiro de 2023. Em outubro do ano passado, ele chegou a afirmar que a direita brasileira o personificou como “vilão” em um discurso extremista de ataque às instituições democráticas do país.

Segundo o magistrado, é mais conveniente para a classe política escolher um “inimigo de carne e osso” que represente os órgãos atacados.

Segundo o ministro, há um processo de crescimento do populismo de extrema-direita que tem atacado a democracia internamente, de forte participação nas redes sociais por meio de “milícias digitais”.

“Com discurso de que os instrumentos democráticos, principalmente eleições, estariam sendo, não só no Brasil, fraudados. E se mecanismos estariam sendo fraudados, o resultado consequentemente seria uma fraude e a democracia estaria em risco”, afirmou Moraes. “Consequentemente, só salvadores da pátria populistas poderiam salvar a democracia”, completou o ministro do STF.