‘Argumento fajuto’, diz Sinésio sobre pesquisa que alerta sobre possíveis doenças virais na reforma da BR-319

Na semana passada, irritado, Plínio Valério não gostou do resultado da pesquisa e falou sobre isso durante sessão no Senado Federal

Após repercussão da fala do senador Plínio Valério, que chamou os pesquisadores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) de “imbecis”, “babacas” e “cientistas de bosta” por conta de um artigo na revista científica Nature, foi a vez do deputado estadual, Sinésio Campos (PT), dizer que os profissionais um argumento fajuto para alertar sobre o risco de disseminação de doenças de origem animal, que podem desencadear novas pandemias, por conta do reasfaltamento de trecho da BR-319 (Manaus-Porto Velho/RO).

“Essa é uma estrada que já existe há 40 anos e só agora aparece uma pesquisa dizendo que a BR-319 pode se tornar um grande antro de produção de doenças virais ou bacterianas, fruto de animais silvestres que ali circulam. Seria como falaram da Covid-19 que surgiu na China. Agora querem jogar essa pecha sobre a BR-319. É um argumento fajuto, e vamos levar um documento, a Carta de Porto Velho, ao Parlamento Amazônico para uma declaração conjunta dos parlamentares da região em defesa da importância da rodovia”, declarou Sinésio Campos na tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas na quarta-feira (28/02).

O Parlamento Amazônico estará reunido em Porto Velho, nos dias 29 de fevereiro e 1º de março, para debater assuntos de interesse da região. Sinésio Campos é o vice-presidente da entidade. O Parlamento Amazônico congrega 270 deputados estaduais oriundos dos nove Estados que compõem a região da Amazônia Legal, sendo eles: Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

Polêmica

Na semana passada, irritado, Plínio Valério não gostou do resultado da pesquisa e falou sobre isso durante sessão no Senado Federal. Segundo ele, a BR-319 é essencial para o Amazonas se conectar ao território nacional.

“Olha só o que eles querem atribuir ao asfaltamento de uma rodovia amazônica: surgimento de novas pandemias. Esses imbecis, babacas, cientistas de bosta sequer notam e sabem que a rodovia já está aberta, cacete! A rodovia já está aberta. E esses imbecis brasileiros que retransmitem, que divulgam essas imbecilidades têm que entender que a rodovia está aberta. Não se vai derrubar uma só árvore. E o meu mandato, eu coloco em jogo. Se derrubar uma só árvore nesse trecho da BR-319, eu renuncio agora ao meu mandato”, afirmou bastante exaltado Plínio Valério na ocasião.

Por outro lado, Lucas Ferrante em entrevista exclusiva ao Panorama Real defendeu a pesquisa e rebateu o senador.

“Este bloco da floresta é o maior reservatório de patógenos do nosso planeta, tais como vírus, fungos, bactérias e príons. O asfaltamento aumentará tanto o desmatamento como a mobilidade humana na região. Estes fatores tendem a propiciar saltos zoonóticos que podem resultar em uma sequência de pandemias e no fortalecimento da disparidade na saúde pública”, explicou.