Biden defende Israel e nega genocídio em Gaza

Biden declarou que o apoio dos EUA a Israel continuará “inabalável”
Biden não aceita o pedido de prisão contra líderes israelenses responsáveis pelo genocídio em Gaza (Foto: Divulgação)

Na noite de segunda-feira (20/05), o presidente dos EUA, Joe Biden, defendeu Israel em um evento do Mês da Herança Judaica Americana na Casa Branca. Na ocasião, ele disse que as forças israelenses não estão cometendo genocídio na guerra contra o Hamas em Gaza e rejeitou críticas de manifestantes pró-palestinos.

“O que está acontecendo em Gaza não é genocídio. Rejeitamos isso”, afirmou.

Ele também disse que o apoio dos EUA à segurança dos israelenses é “inabalável”.

“Estamos ao lado de Israel para eliminar (o líder do Hamas, Yahya) Sinwar e o resto dos carniceiros do Hamas. Queremos o Hamas derrotado. Estamos trabalhando com Israel para que isso aconteça”, disse.

Biden também rejeitou a decisão do promotor do Tribunal Penal Internacional de solicitar mandados de prisão para o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e seu chefe de Defesa por supostos crimes de guerra.

A declaração causou repudio de ativistas. Em muitos de seus eventos ao redor do país, Biden tem sido alvo de protestos pró-palestinos, que o rotularam de “Joe Genocida” pelo seu apoio a Israel.

Com informações das agências internacionais