Bolsonaro é indiciado por inquéritos das joias e das vacinas

Além de Bolsonaro, outros aliados e auxiliares do ex-presidente da República estão na lista de indiciamentos da PF
Bolsonaro será indiciado por falsificar cartão de vacinação contra a Covid-19 e por venda de joias (Foto: Divulgação)

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) foi indiciado pela Polícia Federal (PF) em dois inquéritos: o que apura a venda ilegal de joias no exterior e o que investiga a falsificação de cartões de vacinação contra a covid-19. Os relatórios serão remetidos nesta quinta-feira (04/07) ao Supremo Tribunal Federal (STF), que deverá enviar os documentos à Procuradoria-Geral da República (PGR).

Além de Bolsonaro, outros aliados e auxiliares do ex-presidente da República estão na lista de indiciamentos da PF, entre eles, os advogados Fabio Wajngarten e Frederico Wasseff. De acordo com a PF, o tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, também será indiciado.

Bolsonaro já foi indiciado pela PF no caso das vacinas, em março deste ano, por inserção de dados falsos em sistema de informações e associação criminosa. No mês seguinte, a PGR defendeu que a corporação realizasse mais investigações após analisar o relatório policial.

Joias

Em agosto de 2023, a PF fez uma operação de combate a crimes de peculato e lavagem de dinheiro ligados ao caso das joias recebidas pelo ex-presidente Jair Bolsonaro de Estados estrangeiros. Os investigados são suspeitos de ter vendido joias e presentes oficiais ganhos.

Conforme a investigação, eles teriam utilizado “a estrutura do Estado brasileiro para desviar bens de alto valor patrimonial, entregues por autoridades estrangeiras em missões oficiais a representantes do Estado, por meio da venda desses itens no exterior”.

Com informações das agências