Carro com símbolo nazista desfilou no 7 de setembro de Curitiba, confirma Exército

O carro pertence ao presidente de uma entidade civil destinada a preservação de veículos militares antigos

Brasil de Fato – O Exército Brasileiro confirmou, em uma reunião com o Ministério Público Federal (MPF) no Paraná, que um veículo com símbolo nazista desfilou no 7 de setembro em Curitiba (PR) em 2023. O carro pertence ao presidente de uma entidade civil destinada a preservação de veículos militares antigos e teria sido utilizado ao menos outras cinco vezes nos desfiles do feriado da Independência na capital paranaense.

Até agora, apenas um site de notícias local, O Gazeteiro, havia divulgado a informação. Diante da confirmação de que o veículo participou do desfile, a procuradora da República responsável por investigar o episódio, Hayssa Kirie Medeiros Jardim, decidiu que irá realizar uma reunião com o Museu do Holocausto para avaliar a situação.

Depois, Jardim se reunirá com a Brigada Paranaense de Viaturas Militares Antigas (BPVMA), presidida pelo proprietário do veículo, Laércio Turra. Além disso, a procuradora sugeriu ao Exército a realização de ações educativas junto ao Museu do Holocausto de Curitiba.

O símbolo nazista que estava no veículo que desfilou não era a suástica, o símbolo mais famoso do terceiro Reich, mas uma cruz chamada de Balkenkreuz, principal símbolo utilizado em carros e aviões militares alemães entre 1940 e 1945, segundo o Museu do Holocausto de Curitiba.

O general de brigada Erlon Pacheco da Silva, que comanda a Artilharia Divisionária da 5ª Divisão de Exército, responsável por coordenar o desfile do 7 de setembro, demonstrou, em reunião com o MPF realizada no último dia 23 de fevereiro, não saber que o símbolo era nazista. Ele afirmou que cabe à 5ª Divisão somente a coordenação do desfile, sem atribuição de vetar ou autorizar a participação de veículos da sociedade civil na solenidade.

Além da BPVMA, também participaram do desfile escolas estaduais e municipais. Segundo explicou o general, o desfile é uma solenidade cívico-militar, de forma que o veículo com os símbolos nazistas não desfilou junto às tropas do Exército, mas sim na parte destinada às entidades da sociedade civil.

“Se o veículo foi exibido em um desfile cívico-militar em sete do nove de vinte e três? Positivo, ele desfilou. Se o proprietário foi identificado? O proprietário é o presidente da Brigada Paranaense de Viaturas Militares Antigas”, afirmou o general em reunião gravada com o MPF. Na sequência ele explicou que o desfile é dividido em duas partes, com uma parte civil antes seguida pelos militares.

“Desfile cívico é a primeira parte, que esperam as escolas estaduais, as escolas municipais, onde desfilam as viaturas históricas da Brigada Paranaense de Viaturas Antigas. Nessas viaturas históricas desfilam os pracinhas da FEB (sigla para Força Expedicionária Brasileira, grupamento militar do país que lutou na Segunda Guerra Mundial na Europa).”