Defesa deve argumentar que Bolsonaro não tinha razões para temer ser preso

Em fevereiro, Bolsonaro foi alvo de operação da Polícia Federal

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) deve argumentar ao Supremo Tribunal Federal (STF) que não contava com a possibilidade de ser preso quando aceitou o convite da embaixada da Hungria de se hospedar no local por dois dias.

A defesa do ex-presidente quer explicar a situação pessoalmente ao ministro Alexandre de Moraes, “para que não fiquem dúvidas”.

Ao apostar no argumento de que o ex-presidente não pretende e também não planeja fugir do país, os advogados querem deixar claro que nenhuma atitude ou fala de Bolsonaro tem relação com um eventual cenário de prisão.

Em fevereiro, Bolsonaro foi alvo de operação da Polícia Federal (PF). Teve assessores presos e o passaporte apreendido. Além disso, está proibido de manter contato com outros investigados por suposta tentativa de golpe e suposta organização criminosa.