Eleições 2024: pesquisas nas capitais mostram liderança de homens, brancos e de partidos do centrão

Entre os partidos, chama a atenção a predominância das legendas chamadas de "centrão"
A eleição acontece em outubro deste ano (Foto: Divulgação)

As primeiras pesquisas sobre a corrida eleitoral pelas prefeituras de 25 capitais brasileiras indicam que o eleitorado está inclinado a manter no poder um perfil muito vitorioso na história do país, que são homens, brancos e filiados a partidos do chamado centrão.

O levantamento feito pelo Brasil de Fato levou em consideração a autodeclaração racial dos pré-candidatos na última eleição que disputaram. Dessa forma, em 16 capitais o líder das pesquisas é branco, em nove delas, são pré-candidatos pardos que lideram.

Não é possível analisar o cenário eleitoral em Boa Vista (RR) porque não há pesquisas registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e divulgadas desde janeiro deste ano. As duas últimas, protocoladas por Cidades e Participações e Instituto Veritá, respectivamente em 7 e 9 de junho, não foram publicadas.

A deputada estadual Janad Valcari (PL), que disputará a prefeitura de Palmas (TO), é a única pré-candidatura preta que lidera a disputa nas capitais. Ela também é uma das cinco mulheres que estão à frente no pleito eleitoral, duas delas na região norte. Completam a lista: Rose Modesto (UB), em Campo Grande (MS); Maria do Rosário (PT), em Porto Alegre (RS); Mariana Carvalho (UB), em Porto Velho (RO); e Emília Correa (PL), em Aracaju (SE).

Entre os partidos, chama a atenção a predominância das legendas chamadas de “centrão”. PSD (6), União Brasil (5), MDB (2) e Avante (1) lideram 14, das 26 capitais. Pré-candidaturas progressistas aparecem na frente em apenas 4 cidades: PT (2), PSOL (1) e PSB (1). À direita, o PL (4) puxa a fila, seguido por Republicanos (2) e PP (1).

O Nordeste tem os cenários com as maiores vantagens para os atuais líderes. Em três capitais, as pesquisas mostram que a corrida eleitoral poderia acabar ainda no primeiro turno se a votação fosse hoje. Em Salvador (BA), o atual prefeito Bruno Reis (UB) tem a vantagem mais confortável da região e chega a aparecer com 64% das intenções de voto.

Em Recife (PE), o prefeito João Campos (PSB) caminha para uma reeleição aparentemente tranquila, somando até 59% das intenções de voto, em alguns cenários. João Henrique Caldas, o JHC (PL), fecha a trinca dos possíveis vitoriosos ainda no primeiro turno, em Maceió (AL).

Para além deles, três pré-candidatos aparecem com mais de 40% nas pesquisas. O ex-prefeito Carlos Eduardo (PSD), em Natal (RN); o deputado estadual Fábio Novo (PT); e o prefeito Cícero Lucena (PP).

No Centro-Oeste, as disputas estão acirradas e não há como prever a fotografia final das eleições. Em Goiânia, a liderança do senador Vanderlan Cardoso (PSD) é tímida e não sai da margem de erro. Logo atrás, está a deputada federal Adriana Accorsi (PT), que está em ascensão.

No Mato Grosso e no Mato Grosso do Sul, são dois pré-candidatos do União Brasil que lideram a corrida eleitoral. O deputado estadual Eduardo Botelho e a ex-deputada federal Rose Modesto parecem caminhar para o segundo turno e aguardam a consolidação de pré-candidaturas nos segundos lugares.

No Sul, a novidade é a ascensão da deputada federal Maria do Rosário (PT), que saiu da segunda para a primeira posição nas pesquisas. No levantamento de 20 de junho, o primeiro após a catástrofe ambiental na capital gaúcha, feito pela AtlasIntel, a petista, que soma 30,2%, aparece à frente do prefeito Sebastião Mello (MDB), que aparece com 24,8%.

O Republicanos tem pré-candidatos liderando duas capitais no sudeste, Vitória (ES) e Belo Horizonte (MG). O atual prefeito vitoriense, Lorenzo Pazollini é o favorito para a corrida eleitoral na cidade. Até aqui, o deputado estadual Mauro Tramonte é quem tem levado a preferência dos belo-horizontinos