Empresários e agências de publicidade são alvos da PF por criarem áudio fake contra prefeito de Manaus

No áudio criado por Inteligência Artificial insinua que o prefeito teria falado mal dos educadores da capital.
Equipamentos eletrônicos foram apreendidos nas agências de publicidadde (Foto: Divulgação/PF)

A Polícia Federal deflagrou a Operação Nirmata na manhã desta sexta-feira (09/02) contra empresários, designs e três agências de publicidade em Manaus suspeitas de criarem e compartilharem um áudio fake contra o prefeito David Almeida com uso de inteligência artificial. O caso aconteceu no final do ano passado quando o gestor municipal anunciou que não havia recursos para o pagamento do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Por meio de nota, David Almeida disse que espera a punição dos autores do áudio fake para que sirva de exemplo aos demais que queiram atrapalhar o processo eleitoral com manipulação.

“Esse é um caso que deve ser punido exemplarmente, que sirva de exemplo para o País, para que o próprio processo eleitoral deste ano não seja contaminado, não seja fraudado por aqueles que querem manipular a realidade a partir dos porões da internet, a própria justiça eleitoral nacional já está atenta a essa prática. Não existe anonimato na internet, os responsáveis são sempre localizados. Precisamos dar um basta naqueles que querem se promover difamando os outros de forma criminosa, com mentiras, distorcendo a realidade. Eu respondo, todos os dias, com trabalho”, disse ele.

Áudio fake

No áudio criado por Inteligência Artificial insinua que o prefeito teria falado mal dos educadores da capital. O arquivo foi compartilhado em vários grupos com o objetivo de difamá-lo. Na ocasião, David Allmeida foi pessoalmente à sede da PF denunciar o caso. Ele declarou que o áudio é um fato novo que entra no ingrediente político com relação à inteligência artificial. Ele afirmou ainda que jamais faria um ataque a professores, profissionais que merecem admiração e respeito.

“Tentam colocar como se eu estivesse falando para os professores. Todo mundo sabe da minha ligação com os professores e agora tivemos um problema com relação ao repasse do abono, em função da queda das receitas do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação). E exatamente aproveitando essa questão, aparece essa fala para me colocar em rota de colisão com os professores a quem eu tenho total respeito. Inclusive, fui eu quem iniciou o pagamento do abono aos professores quando fui governador interino em 2017. Então, pelo respeito e admiração que eu tenho aos professores, nós estamos aqui para esclarecer, identificar e punir os autores desse crime”, afirmou o prefeito ao fazer a denúncia.

Operação

Estão sendo cumpridos nove mandados de busca e apreensão, tendo como alvos um designer, três empresas de publicidade, sócios das empresas e dois compartilhadores da “fake news”. Foram apreendidas mídias computacionais, bem como os suspeitos intimados a depor na Superintendência da Polícia Federal.

Polícia Federal encontrou provas contra os suspeitos (Foto: Divulgação/PF)

Acompanham as diligências, o Ministério Público Eleitoral e a Ordem dos Advogados do Brasil.

Sobre o caso

Professores fizeram uma manifestação em frente à Prefeitura de Manaus, e um áudio foi divulgado no dia seguinte com grande repercussão, pois foram atribuídos ao prefeito insultos aos docentes.

Naquela ocasião, foi iniciada investigação, e a Polícia Federal, de imediato, conseguiu provar tecnicamente que o material que circulou não era autêntico. E agora foi identificado o sistema usado, quem produziu o áudio, o local de produção e uma agência de publicidade responsável pela divulgação e propagação em plataformas digitais.