Israel bloqueia ajuda humanitária brasileira que seria entregue a palestinos, confirma Planalto

Situação foi denunciada pelo deputado italiano Angelo Bonelli, que está na região em comitiva de parlamentares europeus

Brasil de Fato – O Palácio do Planalto confirmou ao Brasil de Fato, na noite desta terça-feira (5). que a ajuda humanitária enviada pelo governo brasileiro aos palestinos foi bloqueada por Israel em Rafah. A informação foi divulgada mais cedo pelo deputado italiano Angelo Bonelli, que está na região.

De acordo com Bonelli, o Brasil enviou cerca de 30 caixas de insumos, que incluem filtros de água e freezers. O parlamentar europeu, membro do Partido Verde na Itália afirma que o motivo alegado pelos israelenses para rejeitar a entrega de ajuda nesta terça-feira, (5), é que seria “incompatível e perigosa para a segurança do Estado de Israel“.

Os insumos brasileiros fazem parte dos cerca de dois mil caminhões que aguardam há mais de um mês autorização de Israel para entrar em Gaza com ajuda humanitária. Esses veículos levam suprimentos, equipamentos e alimentos enviados por França, Singapura, Alemanha, Itália, Espanha, Kwait, entre outros. As caixas com os insumos estão em um galpão da Cruz Vermelha em Arish, há 20 km da fronteira com Gaza.

Bonelli divulgou uma série de vídeos na área onde os caminhões estão retidos. Nas imagens, é possível ver uma fileira enorme de veículos que aguardam autorização de Israel para entrar em Gaza. O deputado italiano está na região em uma comitiva de 14 parlamentares italianos de oposição que chegou a Rafah há três dias.

Os bloqueios ocorrem porque a região da fronteira em Rafah, cidade no norte de Gaza que faz fronteira com o Egito, está sob controle das forças militares israelenses que fiscaliza tudo que entra em território palestino por meio de equipamentos de raio-X. 

Segundo Bonelli, entre os itens que foram barrados pelos israelenses e aguardam em um galpão da Cruz Vermelha estão cilindros de oxigênio, camas para cuidados de longa permanência, incubadoras, geladeiras, barracas, muletas, qualquer coisa que produza energia, incluindo painéis solares.

A reportagem questionou o Itamaraty sobre a situação por e-mail, mas ainda não obteve retorno.

Crianças morrendo de fome

O bloqueio israelense ocorre em meio ao agravamento da tragédia humanitária na região. Nesta segunda-feira (4), a Organização Mundial da Saúde informou que ao menos 10 crianças morreram de fome em Gaza nos últimos dias. Uma equipe da organização realizou visita a um hospital na parte norte de Gaza no final de semana e constatou o cenário crítico.

“Níveis graves de desnutrição, menores morrendo de fome, grave escassez de combustível, alimentos e suprimentos médicos, edifícios hospitalares destruídos”, escreveu nesta segunda o diretor da OMS, Tedros Adhanom em seu perfil no X/Twitter.