Livoltek vai inaugurar fábrica para produzir inversores de energia solar no PIM

Com investimento de R$ 70 milhões, a nova fábrica terá uma área de 18 mil metros quadrados e criará mais de 600 empregos.
Eles foram recebidos pelo superintendente-adjunto Executivo da Suframa, Luiz Frederico Aguiar (Foto: Divulgação)

Empresa chinesa do setor de energia solar, a Livoltek anunciou nesta quinta-feira (04/07), na Suframa, que irá inaugurar uma fábrica de inversores no Polo Industrial de Manaus (PIM). A cerimônia está marcada para o próximo dia 24, na avenida Guaruba, Distrito Industrial, zona Sul da capital amazonense.

Participaram da reunião na Autarquia, o diretor executivo da Livoltek, Mateus Gomes, o gerente executivo regional da empresa, Roberto Holden, e o distribuidor da Kuara Energi, Rubenson Chave. Eles foram recebidos pelo superintendente-adjunto Executivo da Suframa, Luiz Frederico Aguiar, pelo superintendente-adjunto de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação, Waldenir Vieira, e pela coordenadora-geral de Acompanhamento de Projetos Industriais, Yeda Aquino.

Com investimento de R$ 70 milhões, a nova fábrica terá uma área de 18 mil metros quadrados e criará mais de 600 empregos. A produção inicial será de inversores string e híbridos, com a expectativa de oferecer produtos fabricados no Brasil ao mesmo custo dos importados, conforme o avanço na nacionalização das etapas produtivas.

Os executivos anunciaram que a Livoltek também começará a fabricar baterias de lítio e carregadores elétricos na planta de Manaus até o final do ano.

“A empresa espera estar entre as dez maiores marcas do mercado fotovoltaico brasileiro até o final de 2025”, afirmou Mateus Gomes.

O evento de inauguração contará com a presença de autoridades, associações do setor, integradores, imprensa e influenciadores do mercado fotovoltaico. Mateus Gomes aproveitou a reunião para convidar formalmente a Suframa para o evento.

O superintendente Luiz Frederico Aguiar afirmou que a Suframa recebe com entusiasmo o anúncio da chegada da fábrica ao PIM.

“Ela vai ao encontro da nova política industrial brasileira de fomento à energia limpa e novos produtos voltados para essa economia. Estamos muito satisfeitos de termos sido convidados no próximo dia 24 para participar da abertura dessa fábrica”, disse. Ele também destacou a obrigatoriedade de investimentos em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) que a empresa terá e a importância do recurso para a região. “Será um grande investimento que contribuirá para o fomento de PD&I na Amazônia Ocidental e no Amapá. Isso nos deixa muito felizes e otimistas quanto ao futuro da nossa região”, ressaltou.