Suframa discute regularização fundiária com representantes de agricultores do DAS

Superintendente da Suframa, Bosco Saraiva, recebe o coordenador-geral do MDA/AM, José Ricardo Wendling, e representantes dos agricultores do DAS (Foto: Divulgação/Suframa)

O aprimoramento do processo de regularização fundiária do Distrito Agropecuário da Suframa (DAS) ficou no centro dos debates da reunião ocorrida, nesta quinta-feira (15/02), entre a direção da autarquia e o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

O encontro foi comandado pelo superintendente da Suframa, Bosco Saraiva, que recebeu a visita da comitiva liderada pelo coordenador-geral do escritório estadual do Ministério do Desenvolvimento Agrário no Amazonas (MDA/AM), José Ricardo Wendling, e de representantes dos agricultores do DAS, entre eles, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais do Município de Manaus e a Cooperativa dos Agricultores Rurais Olhos de Águia.

Saraiva destacou que a Suframa compreende a importância da regularização fundiária do DAS e entende que a solução proporciona aos agricultores acesso a financiamentos, programas governamentais e maior estabilidade para investimentos em suas atividades agrícolas.

“Para nós, vai ser uma glória resolver essa questão da regularização fundiária do DAS. A governança fundiária é uma orientação do Governo Federal. Também é uma premissa do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). De nossa parte, procuramos fortalecer toda iniciativa que promova o estabelecimento e a manutenção de diálogo permanente com a sociedade sobre esse tema”, frisou o superintendente. 

Saraiva ressaltou ainda que, para facilitar o processo de regularização fundiária, a autarquia está conduzindo um levantamento abrangente de toda a área do DAS, utilizando ferramentas de georreferenciamento e fiscalizações presenciais periódicas.

“A Suframa está empenhada em encontrar soluções que atendam aos interesses tanto dos agricultores, respeite as normas e legislações específicas, e também torne a área atraente para investimentos de agroindústrias.  Primeiro estamos fazendo o levantamento do que tem e de quem está lá. Fazendo um mapeamento completo do DAS, para depois tomar as medidas necessárias”, explicou.