Tanques israelenses chegam ao centro de Rafah apesar de condenação global

No último domingo (26/05), crianças, mulheres e idosos morreram carbonizados durante um bombardeio

Tanques israelenses chegaram ao centro de Rafah, perto da mesquita Al-Awda, na manhã desta terça-feira (28/05), pela primeira vez, três semanas após o início da operação terrestre no sul da Faixa de Gaza que gerou uma onda de condenações globais contra Benjamin Netanyahu.

Os militares israelenses disseram que as suas forças continuaram a operar na área de Rafah, sem comentar os avanços relatados no centro da cidade. Os tanques avançaram em direção aos bairros do oeste e assumiram posições no topo da colina de Zurub, no oeste de Rafah, em uma das piores noites de bombardeio relatadas pelos moradores. O exército atingiu a cidade com ataques aéreos e disparos de tanques.

No último domingo (26/05), crianças, mulheres e idosos morreram carbonizados durante um bombardeio israelense ao campo de refugiados montado na cidade de Rafah, que desrespeitou decisão emitida pela Corte Internacional de Justiça e gerou indignação internacional. Foram pelo menos 45 mortos e mais de 200 feridos.

Em um discurso ao Parlamento nesta segunda-feira (27/05), primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu afirmou que, “apesar dos nossos máximos esforços para não ferir civis inocentes, na noite passada, houve um erro trágico. Nós estamos investigando o incidente e vamos obter uma conclusão, pois essa é a nossa postura”.

A área atingida era um acampamento para onde parte da população de Rafah havia acabado de se mudar por conta do início da ofensiva de Israel na cidade, para onde cerca de 1,5 milhão de palestinos fugiram por ataque de Israel no resto do território palestino.

Reação internacional

Reagindo ao ataque de domingo à noite, que atingiu famílias deslocadas em um abrigo, os líderes globais apelaram à implementação da decisão da Corte Internacional de Justiça para travar o ataque de Israel à Rafah.

Moradores disseram que a área de Tel Al-Sultan, cenário do ataque mortal de domingo, ainda estava sendo fortemente bombardeada.7

Com informações de agências internacionais