Três empresários são presos em operação por financiar acampamentos e ataques golpistas de 08 de janeiro

Joveci Xavier chegou a negar participação nos ataques, mas fotos mostra ele nos antidemocráticos

Joveci Xavier Andrade, de 55 anos, Adauto Lúcio de Mesquita, de 56, e Diogo Galvão, de 36, foram presos na manhã desta quinta-feira (29/02), durante operação da Polícia Federal intitulada “Lesa Pátria”. Os empresários são suspeitos de financiar os acampamentos montados após a eleição em frente de quartéis militares e também os atos golpistas registrados no dia 08 de janeiro do ano passado.

De acordo com a PF, Joveci Xavieri e Adauto Lúcio – sócios da rede Melhor Atacadista – financiaram o acampamento montado em Brasília. Já Diogo Galvão foi detido em São Paulo. Ele é ativista de Campinas, Galvão trabalha em uma empresa da família, no ramo de madeiras.

O empresário Joveci Xavier chegou a negar ter participado dos atos golpistas durante depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do 8 de Janeiro, porém, logo foi desmentido pelos integrantes da comissão. Fotos mostra ele usando camisa amarela da Seleção Brasileira — símbolo dos manifestantes bolsonaristas —, em diversos atos antidemocráticos.

Operação

Ao todo, são 34 mandados judiciais na 25ª fase da Lesa Pátria: 24 de busca e apreensão, sete de monitoramento eletrônico, além das três prisões. A operação também atua em Tocantins, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Espírito Santo.

O ministro Alexandre de Moraes determinou o monitoramento de sete suspeitos por meio de tornozeleira eletrônica. Ele também determinou a indisponibilidade de bens, ativos e valores dos investigados.