Delegado-geral tem até quarta-feira (29/05) para explicar interferência de Débora Menezes em ações da polícia

Inquérito civil visa apurar se a deputada estadual faz uso político ao participar de ações da Polícia Civil
A participação de Débora Menezes nas coletivas rendeu uma investigação do MP-AM (Foto: Reprodução)

O delegado-geral da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), Bruno de Paula Fraga, tem até a próxima quarta-feira (29/05) para dar explicações ao Ministério Público do Amazonas (MP-AM) sobre uma possível interferência política da deputada estadual Débora Menezes (PL) em ações da Delegacia Especializada na Proteção a Crianças e Adolescentes (DEPCA). Na semana passada, um racha entre a titular da delegacia, delegada Joyce Coelho, e a parlamentar veio à tona após uma coletiva de imprensa.

O inquérito civil aberto pelo promotor de Justiça Armando Gurgel Maia visa apurar se a deputada estadual fez uso político ao participar de ações da Polícia Civil do Estado. Na coletiva em que esteve presente, Débora Menezes afirmou que participou de algumas operações, principalmente no interior do Estado, com o objetivo de fiscalizar, utilizando da prerrogativa do cargo que ocupa.

De acordo com informações dos bastidores, ao saber que a deputada participaria da tal coletiva, a delegada Joyce Coelho teria se negado a participar. Ela disse discordar do uso indevido das ações policiais com “fim politiqueiro”. Após a polêmica, ela colocou o cargo à disposição da administração da PC-AM.

Bruno Fraga terá que informar ao MP-AM detalhes de todas as ocorrências e operações policiais em que Débora Menezes participou. O promotor determina ainda que a delegada Joyce Coelho seja chamada para esclarecer quais os eventos, fatos e circunstâncias que reputou tratarem-se de interferência política e que a fizeram colocar a titularidade da DEPCA à disposição da PC-AM.

VEJA O DOCUMENTO: