Incidentes graves com líderes aliados da Rússia ocorreram após encontro com presidente azeri pró-Israel

Tentativa de assassinato contra primeiro-ministro da Eslováquia, Robert Fico, e morte de Ebrahim Raisi, no Irã, ocorreram num período de cinco dias. Ambos haviam se encontrado com presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev, aliado de Israel e EUA
Aliados da Rússia, Raisi e Filo estiveram no centro de incidentes graves em menos de uma semana (Fotos: Reprodução)

Em menos de uma semana, dois incidentes envolvendo líderes de nações aliadas da Rússia levantaram questionamentos após ambos se encontrarem com presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev, aliado de Israel e dos Estados Unidos.

No domingo (19/05), o presidente do Irã, Ebrahim Raisi, morreu aos 63 anos em um acidente aéreo envolvendo o helicóptero que o transportava na região do Azerbaijão Oriental. Ele havia acabado de participar de um encontro com Iham Aliyev.

Além dele, morreram na tragédia, também, o ministro das Relações Exteriores, Hossein Amir Abdollahian, o governador da província do Leste do Azerbaijão, Malek Rahmati, o chefe da equipe de guarda de Raisi, Mehdi Mousavi, o representante do Líder Supremo na província, Mohammad Ali Al-e-Hashem, o piloto e o copiloto – cujos nomes ainda não foram divulgados -, e mais uma pessoa não identificada, totalizando nove o número de vítimas fatais.

Segundo o governo iraniano, o helicóptero Bell 212, fabricado nos Estados Unidos, caiu por falhas técnicas em meio a péssimas condições meteorológicas, descartando possíveis atos criminosos no episódio. No entanto, o caso ainda será investigado.

Tentativa de assassinato
Robert Fico de encontrou com presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev, antes de sofrer atentado (Foto: Divulgação/Presidência do Azernaijão)

Quatro dias antes do acidente que vitimou o presidente iraniano, ou seja, no dia 15 de maio, o primeiro-ministro eslovaco, Robert Fico, foi baleado enquanto cumprimentava uma multidão em frente a um centro comunitário cultural de Handlova, no centro da Eslováquia. O político havia se encontrado com o presidente do AzerbaijãO, Ilham Aliyev, no dia 7 de maio.

De acordo com o vice-premiê da Eslováquia, Robert Kalinak, Fico está fora de perigo, mas segue em estado grave. “O pior já passou, pelo menos por enquanto”, afirmou Kalinak, que deu uma entrevista coletiva em frente ao hospital onde Fico está internado, na cidade de Banska Bystrica. “Sua vida não está mais em perigo, mas seu estado continua grave e requer cuidados intensivos”, acrescentou.

O suspeito de ser o atirador foi preso preventivamente e é acusado de tentativa de homicídio premeditado. Autoridades da Eslováquia investigam a possibilidade de o suspeito da tentativa de assassinato não ter agido sozinho.