Alfredo contra-ataca e diz que Bolsonaro queria Menezes apenas como candidato a vereador

Alfredo Nascimento faz coletiva após ser chamado de ‘sabotador da direita’ por Menezes
Alfredo Nascimento revelou que Bolsonaro não queria Menezes como candidato a prefeito (Foto: Divulgação)

Após ser atacado pelo Coronel Menezes, o presidente estadual do Partido Liberal (PL), Alfredo Nascimento, decidiu contra-atacar e revelou de quem foi a decisão de limar o ex-superintendente da Suframa da campanha majoritária durante coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (27/03). Menezes disse na terça-feira (26/03) que o ex-prefeito de Manaus não representava os anseios de Bolsonaro e foi um “grande sabotador da direita no Amazonas”.

”Eu conversei com todos os possíveis candidatos e levei as informações para a comitiva nacional do partido, mas quem tomou a decisão sobre quem seria o candidato foi o presidente Bolsonaro. Ele me chamou, disse que viu o cenário aqui, mas que o candidato dele era o Alberto Neto. Ele falou: Ele é jovem, agregador, é destemido, é preparado e, certamente, eu vou oferecer para Manaus uma opção muito boa do Partido Liberal”, disse.

Sobre ser colocado no papel de sabotador da direita no Estado, Alfredo se demonstrou irritado com o argumento de Menezes e disse que quem está sabotando a direita é o próprio ex-superintendente da Suframa. ”É ele quem está abandonando a direita, e não eu. Mais uma vez estou deixando claro que a decisão política não é minha, mas sim do Bolsonaro”, afirmou.

Só candidato a vereador

Após perder o apadrinhamento de Bolsonaro, Menezes teria apenas a opção de ser candidato a vereador de Manaus.

“Sobre o Menezes, ele (Bolsonaro) disse pra mim, na presença do Alberto, que o Menezes tem que ser candidato a vereador”, declarou Alfredo Nascimento ainda na coletiva.

O posicionamento de Bolsonaro, que é compadre de Menezes, teria sido o real motivo para o ex-superintendente abandonar o PL, mas ele continuou afirmando que não houve negociações favoráveis com o presidente estadual da sigla.

“Com o Alfredo (Nascimento), lamentavelmente não tem jogo”, disse Menezes.

Saída

Coronel Menezes confirmou a saída do Partido Liberal, na noite da última segunda-feira (25/03), durante o lançamento da pré-candidatura do deputado estadual Roberto Cidade à Prefeitura de Manaus. Ele destacou que na próxima semana anunciará para qual sigla deverá migrar, mas tudo indica que Menezes deve fechar mesmo com o União Brasil, partido chefiado por Wilson Lima.

Chapa puro sangue

Questionado sobre o anúncio em janeiro deste ano sobre a formação de uma chapa puro sangue tendo Menezes como vice, Alfredo Nascimento disse que essa informação não partiu oficialmente do PL.

“Eu não me pronunciei até agora sobre o posicionamento político do partido porque eu não tinha autorização para falar. Portanto, essa informação não partiu de mim. Quem vai decidir que composição nós vamos fazer politicamente será o presidente Bolsonaro”, disse Nascimento.

Vale lembrar que o Panorama Real acompanhou o anúncio sobre a chapa puro sangue entre Alberto e Menezes. Ambos publicaram em suas redes sociais essa decisão, apontando que Bolsonaro estava de acordo com a união deles – que vinham se atacando durante todo o ano de 2023.

Em entrevista, o capitão Alberto chegou a dizer que foi ele quem procurou o coronel para “fazer as pazes” em benefício da direita no Amazonas.

“Eu comecei um diálogo com o coronel Menezes e a conversa andou bastante. Até com a possibilidade do PL vir com chapa pura e o coronel Menezes ser meu vice”, declarou ele na ocasião.

Vale lembrar que Menezes chegou a ser expulso do partido após ter chamado Alberto Neto, que é presidente do diretório municipal do PL, de “Judas”, em junho do ano passado.

Continuava expulso do PL

Antes de finalizar a coletiva, Nascimento ainda alfinetou Menezes dizendo que ele não havia entregue a liminar da justiça que havia supostamente revogado a sua expulsão da sigla no ano passado.

“Ele está expulso do partido desde o ano passado e essa expulsão não fui eu que determinei. A expulsão quem fez foi a municipal do partido, que quem era presidida pelo Alberto Neto. Ele disse que a Justiça determinou que ele voltasse para o partido, mas eu quero ver é o papel porque eu não recebi nada disso até agora”.

VEJA VÍDEO: