Ex-embaixadora dos EUA na ONU defende genocídio do povo palestino: ‘Acabem com eles!’

A publicação onde Nikki aparece escrevendo a mensagem foi feita pelo parlamentar israelense Danny Danon

Em um ato que demonstra o apoio de autoridades norte-americanas ao genocídio praticado por Israel contra os palestinos, a ex-embaixadora dos Estados Unidos na Organização das Nações Unidas (ONU) e ex-candidata a presidente do país, Nikki Haley, visitou um posto das tropas israelenses, nesta terça-feira (28/05), e escreveu a mensagem “Acabem com eles! Os EUA amam Israel” em projétil de artilharia que será usado pelos agressores israelenses para matar civis palestinos na Faixa de Gaza.

A publicação onde Nikki aparece escrevendo a mensagem no projetil foi feita pelo parlamentar israelense Danny Danon no Instagram.

Ação de Haley é repudiada

O parlamentar israelense ainda publicou a foto do projétil com a mensagem escrita pela ex-embaixadora dos EUA na ONU. A ação de Haley provocou uma série de comentários de condenação nas redes sociais.

As pessoas questionaram se ela não estaria infringido uma das principais tarefas de uma embaixadora, que é melhorar as relações entre os países envolvidos em conflitos políticos, econômicos, sociais e culturais, mesmo não estando mais no cargo.

Nikki Haley chegou a defender Israel em entrevista, na segunda-feira (27/05), um dia após um ataque aéreo criminoso do regime israelense a um campo de refugiados na cidade de Rafah, no sul da Faixa de Gaza, que deixou 45 pessoas mortas, a maioria mulheres e crianças, que foram queimadas em tendas.

“Eu quero que os israelenses saibam que vocês estão fazendo a coisa certa. Não deixem que ninguém faça com que vocês se sintam errados porque Israel não está errado”, afirmou a extremista norte-americana, que ignorou os massacres que os terroristas israelenses vêm cometendo, há oito meses, contra os palestinos na Faixa de Gaza e na Cisjordânia, numa ofensiva classificada como genocídio pela comunidade internacional.

As agressões israelenses contra os palestinos já deixaram mais de 35 mil palestinos mortos, incluindo 13 mil crianças. Nesta terça-feira (28/05), um relatório divulgado pela Organização das Nações Unidas (ONU) revelou que, em oito meses de massacres, Israel deixou 10 mil órfãos, 3 mil viúvas, 17 mil crianças desacompanhadas ou separadas de suas famílias e exterminou 5% da população da Faixa de Gaza.